domingo, 6 de maio de 2012

Palavras a minha morte.

Sinto como se uma espada perfura-se fundo no seio de minha alma
A chaga que lhe foi aberta no centro de um coração que ainda pulsa
O sofrimento que não se iguala a qualquer sensação já vivida
Não é apenas uma sensação qualquer de partida,
E sim uma sensação de desespero que me abrange

Sinto como se a vida estivesse me deixando
O ar escapa de minhas entranhas
O peso de cem mil quilos sobre mim
E te longe posso saber que és a pior cruz que venho a carregar
Vem de forma avassaladora, o frio, o medo e a angústia.

Sinto a culpa invadir meus pensamentos,
Sei que não lhe fui honesto da forma que deveria
Tento me agarrar ao pouco que me resta
Segurando – me de forma firme ao que não será mais o mesmo
E sabendo que agora aguardo ao fim, que por mim começara a existir.

Twitter: www.twitter.com/astronaut_land
Facebook: www.facebook.com/ astronaut.land

sábado, 28 de janeiro de 2012

Palavras no silêncio

Ainda meio atordoado, olho para o passado, e vejo a pessoa que nunca fui, quis ou provavelmente serei.

Entendo agora como um adulto frustrado, e não como uma criança ilusória, que a verdadeira felicidade, só me será possível, quando conseguir ser feliz por mim mesmo.
Durante muito tempo achei que o problema estivesse aqui, caminhando junto a mim, e deixei de abrir os olhos, para as minhas motivações.

Porém agora posso distinguir a diferença entre realidade e fantasia. Por muitas vezes derrotado, esqueci como é ser vitorioso, e fiz dos meus lamentos as minhas maiores verdades. Tropecei e cai muitas vezes, e mesmo que pudesse me levantar, continuei o meu caminho, mas agora a rastejar, simplesmente pelo o medo de novamente tentar.
Mas agora resolvi que não vou mais mudar, vou ser quem eu sou, mesmo que esse não seja quem fui, farei com que me apaixone a cada dia mais, pelo o ser mais belo que se possa imaginar, aquele que sempre me apoiará, e por quem eu deva em primeiro lugar sempre amar.

Abraços a todos – Turini Astronaut Land

E – mail: ederturini@yahoo.com.br
MSN: eder.turini@libero.it
Twitter: www.twitter.com/astronaut_land
Facebook: www.facebook.com/cowboyforadalei

quarta-feira, 2 de novembro de 2011

Palavras ao Vento

Sentindo o vazio da alma quando me olho ao espelho, o sentimento que habitava meu coração se transformou em medo, medo que se iguala a desespero, despreparo e angústia.
Sinto falta dos seus beijos, do seu abraço e do seu desejo.

Desejo que parece que se dissipou, apagou e se abalou. Ou apenas se revelou em morte, lamento ou dor.

A falta que me faz talvez seja a falta de que nunca tive, mas penso, paro e relembro, e sinto novamente a sensação que já não me é mais presente.

Reluto contra sentimentos que nunca foram sentidos antes, sentimentos que vazam agora como torrentes e a levam para longe de mim.

E tento me consolar, pensando que é melhor nem pensar, ou talvez esperar, esperando que tudo possa melhorar, mas o medo não me abandona, não o medo de acabar.

Abraços, Turini – Astronauta Terrestre.

domingo, 22 de maio de 2011

Desabafo

Depois de alguns “milhares de anos” sem me interessar por postar algo, lógico que apesar da correria do dia a dia (notem que dia – a – dia não possui mais hífen de acordo com as novas regras gramaticais, rss), também existe um tanto de preguiça para escrever algo.

Mas retorno aqui hoje inspirado em absolutamente nada, retorno apenas por recordar que gosto de escrever. Não que escreva bem, logo então não posso me vangloriar por saber como se faz. Gosto de escrever para lembrar que por apenas alguns minutos sou livre, posso expor minhas idéias, posso sentir, pensar, viajar, sonhar sem me importar com que as pessoas pensaram, falaram ou julgaram dessas palavras.

Às vezes me perturba a forma que somos oprimidos em relação a nossa liberdade, seja em casa, no trabalho ou nos momentos de lazer, a todo momento me deparo com pessoas que acham ser as donas das verdades . E o que mais me revolta é saber que na maioria das vezes, por se fazer valer suas idéias, deixamos de viver experiências, trocar informações, absorver conhecimento, deixamos de criarmos nossas opiniões.
Há algum tempo atrás, procurando na internet frases e pensamentos para expressar um sentimento, me deparo com a seguinte citação de Luis Fernando Veríssimo - “A verdade é que a gente não faz filhos. Só faz o layout. Eles mesmos fazem a arte-final.” – me pus a pensar, como mesmos criamos a nossa personalidade? O que nos distingue das outras pessoas?

Acredito que só exista uma forma de se evoluir como pessoas, e essas são: errando, sofrendo, se arrependendo, caindo, levantando, chorando, apanhando (no sentido figurado ou literal da palavra), se alegrando, se entristecendo, resumidamente... Vivendo!

Por logo então deixe as pessoas viverem, sentirem, muitas vezes devemos andar com nossos próprios pés, e mesmo que já tivemos experiências parecidas, não podemos saber se terão o mesmo fim, porém se tivera, estará ali para apoiar, você já passara por isso, já aprendera com o mesmo ato vivido, mais não tire das pessoas a única coisa que lhes tens direito nessa vida, que é o ato de viver.

Abraços, Turini – O Astronauta Terrestre.

domingo, 28 de fevereiro de 2010

Tentando Voltar a Ativa

Bom, como todos vocês sabem, esse blog anda para lá de esquecido.

Como já prometido antes, tenho tentado voltar a escrever, mas a realidade é que ando sem nenhuma vontade de realizar tal feito.

Porém lendo um blog de um amigo meu, que leu e postou de outro blog conhecido, achei um texto que me fez reanimar a chama de reativar isso aqui.

Gostaria muito de dividir tal feito com vocês, e é por isso, que sem pedir nenhuma autorização, mas não retirando os méritos dos autores, segue abaixo o texto que meu deu vontade de voltar a ativar esse centro de idéias perdidas.

Atenciosamente, Astronauta Terrestre.

BBB a vergonha nacional

De uns dias pra cá venho postando algumas informações e crítica ao BBB, e venho me perguntando se as pessoas estão entendendo a mensagem que quero passar a respeito desse programinha de merda, eis que vejo esse texto no Amigos Data Byte, simplesmente perfeito e tudo que eu gostaria de passar sobre esse deserviço que a RGT nos proporciona.

Big Brother Brasil 10 , a vergonha nacional!
Que me perdoem os ávidos telespectadores do Big Brother Brasil (BBB), produzido e organizado pela nossa distinta Rede Globo, mas conseguimos chegar ao fundo do poço. A décima edição do BBB é uma síntese do que há de pior na TV brasileira. Chega a ser difícil encontrar as palavras adequadas para qualificar tamanho atentado à nossa modesta inteligência.

Dizem que Roma, um dos maiores impérios que o mundo conheceu, teve seu fim marcado pela depravação dos valores morais do seu povo, principalmente pela banalização do sexo. O BBB 10 é a pura e suprema banalização do sexo. Impossível assistir este programa ao lado dos filhos.

Gays,
lésbicas,
heteros… todos na mesma casa, a casa dos heróis, como são chamados por Pedro Bial. Não tenho nada contra gays, acho que cada um faz da vida o que quer, mas sou contra safadeza ao vivo na TV, seja entre homossexuais ou heterosexuais. O BBB 10 é a realidade em busca do IBOPE: é putaria ao vivo!!!
Veja como Pedro Bial tratou os participantes do BBB 10. Ele prometeu um zoológico humano divertido. Não sei se será divertido, mas parece bem variado na sua mistura de clichês e figuras típicas.

Se entendi corretamente as apresentações, são 15 animais: o judeu tarado, o gay afeminado, a dentista gostosa, o negro
com suingue, a nerd tímida, a gostosa com bundão, a “não sou piranha mas não sou santa”, o modelo Mr. Maringá, a nordestina sorridente, a lésbica convicta, a DJ intelectual, o carioca marrento, o maquiador drag-queen e a PM que gosta de apanhar (essa é para acabar!!!).

Pergunto-me, por exemplo, como um jornalista, documentarista e escritor como Pedro Bial que, faça-se justiça, cobriu a Queda do Muro de Berlim, se submete a ser apresentador de um programa desse nível???

Em um e-mail que recebi há pouco tempo, Bial escreve maravilhosamente bem sobre a perda do humorista Bussunda referindo-se à pena de se morrer tão cedo. Eu gostaria de perguntar se ele não pensa que esse programa é a morte da cultura, de valores e princípios, da moral, da ética e da dignidade?

Outro dia, durante o intervalo de uma programação da Globo, um outro repórter acéfalo do BBB disse que, para ganhar o prêmio de um milhão e meio de reais, um Big Brother tem um caminho árduo pela frente, chamando-os de heróis. Caminho árduo? Heróis? São esses nossos exemplos de heróis?

Caminho árduo para mim é aquele percorrido por milhões de brasileiros, profissionais da saúde, professores da rede pública (aliás, todos os professores), carteiros, lixeiros e tantos outros trabalhadores incansáveis que, diariamente, passam horas exercendo suas funções com dedicação, competência e amor e quase sempre são mal remunerados.

Heróis são milhares de brasileiros que sequer tem um prato de comida por dia e um colchão decente para dormir, e conseguem sobreviver a isso todo santo dia.

Heróis são crianças e adultos que lutam contra doenças complicadíssimas
porque não tiveram chance de ter uma vida mais saudável e digna.*

Heróis são inúmeras pessoas, entidades sociais e beneficentes, ONGs, voluntários, igrejas e hospitais que se dedicam ao cuidado de carentes, doentes e necessitados (vamos lembrar de nossa eterna heroína Zilda Arns).

Heróis são aqueles que, apesar de ganharem um salário mínimo, pagam suas contas, restando apenas dezesseis reais para alimentação, como mostrado em outra reportagem apresentada meses atrás pela própria Rede Globo.

O Big Brother Brasil não é um programa cultural, nem educativo, não acrescenta informações e conhecimentos intelectuais aos
telespectadores, nem aos participantes, e não há qualquer outro estímulo como, por exemplo, o incentivo ao esporte, à música, à criatividade ou ao ensino de conceitos como valor, ética, trabalho e moral. São apenas pessoas que se prestam a comer, beber, tomar sol, fofocar, dormir e agir estupidamente para que, ao final do programa, o escolhido receba um milhão e meio de reais. E ai
vem algum psicólogo de vanguarda e me diz que o BBB ajuda a “entender o comportamento humano”. Ah, tenha dó!!!

Veja o que está por de tra$$$$$$$$$$$$$$$$ do BBB: José Neumani da Rádio Jovem Pan, fez um cálculo de que se vinte e nove milhões de pessoas ligarem a cada paredão, com o custo da ligação a trinta centavos, a Rede Globo e a Telefônica arrecadam oito milhões e setecentos mil reais. Eu vou repetir: oito milhões e setecentos mil reais a cada paredão.

Já imaginaram quanto poderia ser feito com essa quantia se fosse dedicada a programas de inclusão social, moradia, alimentação, ensino e saúde de muitos brasileiros?

Poderia ser feito mais de 520 casas populares; ou comprar mais de 5.000 computadores;

Essas palavras não são de revolta ou protesto, mas de vergonha e indignação, por ver tamanha aberração ter milhões de telespectadores.

Em vez de assistir ao BBB, que tal ler um livro, um artigo de Jabor, um poema de Mário Quintana ou de Neruda ou qualquer outra coisa…, ir ao cinema…, estudar… , ouvir boa música…, cuidar das flores e jardins… telefonar para um amigo… , visitar os avós… , pescar…, brincar com as crianças… , namorar… ou simplesmente dormir.

Assistir ao BBB é ajudar a Globo a ganhar rios de dinheiro e destruir o que ainda resta dos valores sobre os quais foi construído nossa sociedade.

Faça sua parte !!!

terça-feira, 14 de abril de 2009

Direito ou Dever?

Como prometido, aqui estou para um novo post.
Pensando e repensando, lendo e meditando no que escrever, minha inspiração veio de onde menos esperava.
Bom mas para evitar que me perca no que pretendo escrever, até porque creio ser um assunto dos mais polêmicos até aqui escrito, vamos logo ao mesmo.
Eutanásia
Para quem nunca tenha ouvido a palavra, ou por mais que tenha, nunca nem quis saber seu significado, o aqui escritor, resolveu poupar seu trabalho de procurar no dicionário.
eutanásia
[Var. pros. de eutanasia.]
Substantivo feminino.
1.Morte serena, sem sofrimento.
2.Prática, sem amparo legal, pela qual se busca abreviar, sem dor ou sofrimento, a vida de um doente reconhecidamente incurável. [Antôn.: distanásia, distanasia.] [Embora o étimo gr. postule eutanasia, o uso consagrou eutanásia no português do Brasil.]
Isso mesmo, já tinha avisado antes que o assunto seria polêmico, senão o mais já tratado aqui antes.
Então, assistindo a um seriado que passa na FOX, intitulado BOSTON LEGAL, onde retrataria um escritório de advogados bem no estilo norte – americano, eles abordaram um assunto que me interessou bastante, e que por mais inédito que pareça ser, me fez pensar.
Desde os primórdios da humanidade as pessoas sofrem para nascer, sofrem para sobreviver, e também, sofrem para morrer.
Mas o ponto que me chamou atenção e me pós a pensar foi a proibição da Eutanásia.
Lógico que ninguém tem o direito de tirar a vida de nenhum ser vivente, por mais de que as pessoas tenham se esquecido disso. A cada dia os assassinatos mancham as páginas de jornal, e nem é preciso se esforçar para procurar as páginas polícias não, sendo que de tempos para cá, tem se tornado sem sombras de dúvidas a mais numerosa coluna do jornal.
Mas o que me deixou a pensar é que, será mesmo que algumas pessoas ainda se encontram no estado de vivente? Fico me imaginando se acontecesse comigo, se fosse a mim a situação de estar em cima de um leito, sem o mínimo de noção de onde estou, sem o mínimo de sentimento, sem ao menos conseguir respirar sozinho, coisa que sabemos que até sem pensar conseguimos fazer.
E o porquê desse tão nobre sentimento moralista que nossa cultura tem a respeito da “eutanásia”. Será que é mesmo devido a ser errado tirar a vida de outro ser humano? Será que é tão errado uma pessoa ter a decência de morrer em paz. Será mesmo tão errado quanto aos policiais que tem licença para matar, e quantos por muitas vezes não fazem uso dessa de forma errada.
Qual seria o interesse do estado em uma pessoa que de nada mais lhe resta do que ocupar uma vaga nos tão concorridos hospitais.
Fiquei pensando se realmente o estado seria o maior interessado e cheguei a uma conclusão que muitos ainda não possam ter visto, de nada adianta para o estado uma pessoa em vegetativa em uma maca de hospital, de nada adianta para o estado.
Mas e para as farmácias?Será que adiantaria de algo? E para os planos de saúde? E aos médicos particulares?
Vale lembrar que quando um cachorrinho, ou um animal qualquer, esteja sofrendo, nenhum veterinário lhe condena em querer sacrificar o animal, animal que às vezes é mais querido que uma pessoa possa ser.
Bom, não venho aqui dizer que sou a favor de tal prática, muito menos quero que pensem que sou um otimista sentimental a ponto de imaginar que uma pessoa em quadro irreversível volte a correr livremente nos parques e praças de uma cidadela qualquer.
Venho aqui dizer que vale a pena pensarmos no que seria o verdadeiro motivo para tais proibições.
Proibições essas que muitas das vezes trazem sofrimentos nos quais poderiam ser evitados.
Me despeço por aqui, O Astronauta Terrestre.

quarta-feira, 25 de março de 2009

Renascimento

Sei que esse blog anda meio jogado as traças, mas depois que vi o blog da minha cunhada me deu uma nova vontade de reviver esse aqui.
Como foi de relance não tive tempo de preparar nada em especial para essa postagem de reinauguração.
Então pela falta de assunto mesmo e para evitar começarmos a falar de Ronaldos e Madonnas que existam por esse país afora, deixo apenas esse post de reiniciação.

Abraços a todos que ainda se quer tem passado por aqui às vezes.

Agradecido Eu Turini, sempre o Astronauta Terrestre.

segunda-feira, 26 de janeiro de 2009

Dúvidas

Depois de algum tempo, venho aqui para expressar, primeiro, meus pêsames a família da modelo Mariana Bridi. Creio que não só nós do Espírito Santo, mas também o Brasil todo, deve está sentindo a mesma sensação.
E devido a este sentimento resolvi escrever sobre uma das coisas que mais me amedronta no Brasil.
Tenho percebido que a família em nenhum momento quis ou deixou entender que houve mais uma falha no sistema médico.
Mas fico me imaginando se teria sido diferente, caso o primeiro diagnóstico tivesse sido preciso em tal ocasião.
Sabemos em primeira estância que foi dado um laudo de cólicas renais, sem ao menos um exame que comprovasse tal situação.
Então fica o meu medo, o medo de chegar a um dia ficar doente, e ser medicado para um fim totalmente diferente ao que me seria necessário, fica o medo de chegar a perder um ente, por motivos de erros que não se devem acontecer quando se trata de vidas.
Mesmo sendo um leigo no que se diz a medicina, acredito que alguns procedimentos devam ser padrões, incontestavelmente então quando se trata de doenças com sintomas comuns.
É realmente difícil entender certas ocasiões, principalmente que os erros nessa área têm ocorrido, ou ocorrem, de forma periódica.
Então fica o meu receio, e expectativas que tais casos sejam melhores estudados, e se comprovado, que os “culpados” de tais erros, sejam afastados dos cargos, para que não possam lesar mais pessoas, ou como nesse caso, famílias.
Despeço – me de vocês com um desejo de que todos tenham a saúde necessária, para que não precisemos do sistema único de saúde do nosso tão amado país.
Abraços a todos, Turini – O Astronauta Terrestre.

segunda-feira, 12 de janeiro de 2009

Revolução Insensata

Hoje falarei de um assunto que me deixou pra lá de revoltado. Talvez pela importância que muitos não entenderão a principio e talvez nem nunca, mas bom... Aqui vai.
Que moramos no país da mudança isso todos nós já sabemos, mudasse governos, mudasse moeda, mudasse de casa, e porque não? Mudasse a forma de escrever.
E isso é exatamente o que me deixa revoltado a ponto de estar criando esse post, como se não bastasse às crises que os brasileiros são obrigados a se adaptar, ainda nos vem mais essa, uma mudança na língua em que falamos?
Se não bastasse – nos a diversidade que convivemos devido às condições geográficas, ainda nos vem mais essa?
Mudaram se várias regras da nossa velha Língua Portuguesa, que imagino que mais de 99% dos brasileiros (incluindo a mim), deve não se lembrar.
Fico imaginando se o motivo é realmente de tal peso para que realmente devêssemos priorizar tais mudanças.
Fico imaginando o que será necessário para que tal mudança aconteça. Será que professores que estão em atividade a mais de duas décadas, estarão preparados para tal? E os mais brilhantes escritores? Estarão a par dessa situação? E nossas crianças, que estão aprendendo, e com grande dificuldade, uma das mais difíceis línguas do mundo, será tão fácil a migração de conhecimentos que em um ano faz sentido, e no outro não mais?
Quando falamos em revolução, devemos ressaltar que deve ser feita em processo lento, e que só assim evitaremos cicatrizes na sociedade em que as sofrem.
Ainda tenho que aturar pessoas que me falam que isso é apenas uma forma ou outra de se escrever, que nada vai mudar, e que são regras simples de se adaptar.
Será mesmo fácil mudar regras em uma escrita de décadas de existência? Será que isso tudo é mesmo necessário? Será que quantas mais adaptações sofreremos devido à intervenção de outras entidades?
Despeço-me por aqui, e peço que pensem um pouquinho a respeito do assunto.
Vejamos o que mais nos é feito sem que ao menos saibamos.
E até quando nossos governantes ofuscaram nossas mentes com mudanças insensatas?
Abraços Turini – O Astronauta Terrestre.

segunda-feira, 22 de dezembro de 2008

Humanos

Antes do próximo post, queria dizer que está cada dia mais complicado achar um assunto, então, por isso a demora entre um post e outro.
A cada dia fico mais admirado com a ignorância das pessoas que nos cercam. É muito fascinante saber que em pleno século XXI ainda existam pessoas tão obtusas ao ponto de serem preconceituosas.
No cenário da diversidade que nos cerca, ainda encontramos os preconceitos mais absurdo que nos pode existir, além claro, dos novos preconceitos que nos aparecem a cada dia.
Porém com o que mais fico abismado e com a forma que isso é imposto.
Existem pais que ensinam para os filhos atos preconceituosos, piadas racistas encontram se por todas as mesas de bares e confraternizações, pessoas que acham que por terem apenas uma cor diferente de pele, ou por não ter sido vítima de algum problema genético ou de má formação, seja superior.
Creio também que existam várias pessoas que gostam de tirar vantagem disso, hoje se encontra vários processos em andamento devido a vítimas de preconceito. Índios que dizem terem sido vitimas de destrato, negros que foram desmerecidos, pessoas que sofreram abusos verbais devido à estatura, deficiência, etc.
Do meu ponto de vista o preconceito só acontece quando a parte a que foi sofrida se sente menos capaz de revidar.
Se sente menos importante a quão o fato.
Imagine você passando na rua e alguma criança te chama de Preto? O que você faria? Iria entrar com um processo na justiça contra a mesma? Iria leva – la a nocaute? Nada, iria rir, porque isso seria uma ingenuidade vinda de um ser que apenas transparece aos fatos que lhe e visível.
Então o problema não é as pessoas ficarem criando palavras para expressar sua raça, sua deficiência, sua diferença.
Vivemos em um país onde a mistura de classes sociais, a mistura de raças, é real, e com toda certeza, se você for parar para analisar sua árvore genealógica, irá encontrar negros, índios, brancos, surdos, mudos, etc e tal.
Temos sim que mudar nossos princípios, aquele que nos foi posto pelo bisavô, e para isso, não vai adiantar ficar criando mais problemas ou discussões.
Temos que aceitar que existem sim diferenças entre raças, entre pigmentação de pele, entre regiões. Mas não existem diferenças entre as capacidades de um ser humano.
Então vamos mudar nossos princípios, vamos educar nossos filhos para que eles cresçam sabendo que iram encontrar diferenças, mais que isso não lhe dará o direito de se achar superior, ou inferior, porque por dentro, somos todos iguais.
FIM


Aproveitando também pra dizer que esse deverá ser o último post do ano.
Então me despeço de vocês desejando um feliz natal, e que as graças que almejamos sejam alcançadas e que não nos esquecemos do verdadeiro propósito do mesmo. E que o ano novo possa ser não apenas mais um ano, mas um ano de mudanças e de melhorias, sejam em que aspecto ou proporção deseje.
São meus votos para todos, Turini – O Astronauta Terrestre.

quinta-feira, 18 de dezembro de 2008

Vamos celebrar a estupidez humana!!!

Resolvi falar hoje de um assunto que já venho a bastante tempo pensando em como dizer...
Sei que será um dos assuntos mais polêmicos aqui falados, até porque quando se trata de polícia e sempre a mesma história, pessoas contra e pessoas em prol.
Concordo que até eu mesmo fico confuso em o que dizer de certas situações, seria bem fácil quando tinha meus 15 anos, no auge da rebeldia, falar que polícia era todas erradas mesmo, e que nenhum salvava, mas hoje com as experiências vejo que devemos aprender a separar o joio do trigo.
Hoje as maiores críticas contra a força da Polícia, principalmente a Militar, é que os policias estão despreparados para estar atuando na rua, que os policias estão sendo treinados para atirar primeiro e perguntar depois, ou ainda que não saiba identificar um criminoso de um cidadão.
Já eu creio que um policial que passa 2 anos estudando táticas antes de ir para o combate não teria mais nada do que aprender. Então o que está errado na polícia atualmente? O que está errado é que policial também tem sentimento, policial também sente raiva, também sente cansaço, policial também fica estressado.
Policial também é ser humano como eu ou você, só que policial é diferente de você que trabalha sei lá, com informática, roupas, sapatos, carros, bicicletas, etc. Um policial trabalha com uma arma e também com vidas.
Concordo também que nem todos que entra para uma dessas forças estão interessados no trabalho real de proteção das pessoas, mas entram pensando em propinas, roubos, chantagem, etc.
Mas para mim a solução não seria apenas mais treinamentos para esses profissionais, mas sim, um trabalho motivacional, um salário mais justo, um apoio. E claro também que para os não vocacionados um punimento mais severo, com direitos a expulsões e prisão.
Também seria necessário armamento especializado para determinadas tarefas, como por exemplo, arma de efeito paralisante, munição de borracha, entre outros que já é possível para a tecnologia nos proporcionarem.
Não digo que todo policial é bonzinho ou que agiu certo, mas sim que existem injustiças e casos e acasos. E antes de julgamos peço então que nós brasileiros como tais, voltemos a cobrar mais dos nossos governantes, voltemos a cobrar mais das pessoas que estão aí para nos proteger, mas sem esquecer que antes de julgar determinados assuntos vamos avaliar a verdadeira realidade que ouve em determinado caso, antes de aceitar o que nos é colocado pela mídia e meios de comunicações.
Despeço-me por aqui.
Atenciosamente Turini – O Astronauta Terrestre.

terça-feira, 16 de dezembro de 2008

Injustiças e Corrupções

Devido a alguns incidentes não pude estar atualizando o blog com freqüência, mais aqui estamos nós de novo e hoje para falar de um assunto pra lá de especial.
Com muito pesar que esses dias em um supermercado tive a horrível sensação de como se aproveitam da boa vontade das pessoas para o mínimo de vantagem possível.
São pessoas que aproveitam da boa vontade das pessoas para furar filas, para roubar no troco, etc.
E então volto a tocar no assunto do autor da crônica anterior, onde o mesmo, deixa falado que brasileiro não é um povo honesto.
Sei que o mundo muda, mas resta lembra – me de uma época onde brasileiro tinha orgulho de ser trabalhador, tinha orgulho de ser honesto, época essa que nem sei se cheguei a presenciar, já que desde de quando me entendo por gente, vejo injustiças e trapaças.
Vejo um povo que perdeu sua dignidade nas mãos de políticos corruptos, vejo um povo que se acostumou com marginais, com batedores de carteiras, e que por medo ou receio acabam abrindo mão dos seus direitos e deixando que vários levem vantagens a suas custas.
Vejo um povo sofrido de abusos, de maus tratos, e que na maioria deles, levam muito mais do que seu tempo ou dinheiro, levam sua dignidade, sua honra, sua esperança.
Diante desses fatos não me sinto triste, me sinto envergonhado, me sinto revoltado, e porque não? Profundamente amargurado com as condições em que vivemos hoje.
É um absurdo lembrar que a grande parte desses acontecimentos são gerados por nossos governantes, aqueles em que votamos e elegemos para nos representar no poder.
Queria receber do bom velhinho esse natal a honestidade das pessoas que habitam esse país, e aí sim, poder ter a certeza que aqui é o lugar onde quero que meus filhos cresçam e tenham uma vida saudável.
Bom como no post anterior deixe claro que sou grande admirador de alguns escritores brasileiros, e será normal utilizar de algumas citações ou textos desses.
E resolvi então compartilhar com vocês de uma prosa que li a algum tempo atrás. Espero que gostem...
Atenciosamente Turini – O Astronauta Terrestre.

Só de Sacanagem
*Elisa Lucinda
Meu coração está aos pulos!
Quantas vezes minha esperança será posta à prova?
Por quantas provas terá ela que passar? Tudo isso que está aí no ar, malas, cuecas que voam entupidas de dinheiro, do meu, do nosso dinheiro que reservamos duramente para educar os meninos mais pobres que nós, para cuidar gratuitamente da saúde deles e dos seus pais, esse dinheiro viaja na bagagem da impunidade e eu não posso mais.
Quantas vezes, meu amigo, meu rapaz, minha confiança vai ser posta à prova?
Quantas vezes minha esperança vai esperar no cais?
É certo que tempos difíceis existem para aperfeiçoar o aprendiz, mas não é certo que a mentira dos maus brasileiros venha quebrar no nosso nariz.
Meu coração está no escuro, a luz é simples, regada ao conselho simples de meu pai, minha mãe, minha avó e os justos que os precederam: "Não roubarás", "Devolva o lápis do coleguinha", "Esse apontador não é seu, minha filha". Ao invés disso, tanta coisa nojenta e torpe tenho tido que escutar.
Até habeas corpus preventivo, coisa da qual nunca tinha visto falar e sobre a qual minha pobre lógica ainda insiste: esse é o tipo de benefício que só ao culpado interessará. Pois bem, se mexeram comigo, com a velha e fiel fé do meu povo sofrido, então agora eu vou sacanear: mais honesta ainda vou ficar.
Só de sacanagem! Dirão: "Deixa de ser boba, desde Cabral que aqui todo mundo rouba" e vou dizer: "Não importa, será esse o meu carnaval, vou confiar mais e outra vez. Eu, meu irmão, meu filho e meus amigos, vamos pagar limpo a quem a gente deve e receber limpo do nosso freguês. Com o tempo a gente consegue ser livre, ético e o escambau."
Dirão: "É inútil, todo o mundo aqui é corrupto, desde o primeiro homem que veio de Portugal". Eu direi: Não admito, minha esperança é imortal. Eu repito, ouviram? Imortal! Sei que não dá para mudar o começo mas, se a gente quiser, vai dar para mudar o final!

quinta-feira, 4 de dezembro de 2008

A cara do Brasil!!!!

Bom pessoal, hoje não estarei escrevendo aqui, mais uma amiga minha me enviou um e mali com uma crônica, e gostaria de compartilhar com vocês.

"Brasileiro é um povo solidário. Mentira. Brasileiro é babaca.
Eleger para o cargo mais importante do Estado um sujeito que não tem escolaridade e preparo nem para ser gari, só porque tem uma história de vida sofrida;
Pagar 40% de sua renda em tributos e ainda dar esmola para pobre na rua ao invés de cobrar do governo uma solução para pobreza;
Aceitar que ONG's de direitos humanos fiquem dando pitaco na forma como tratamos nossa criminalidade. ..
Não protestar cada vez que o governo compra colchões para presidiários que queimaram os deles de propósito, não é coisa de gente solidária.
É coisa de gente otária.
- Brasileiro é um povo alegre. Mentira. Brasileiro é bobalhão.

Fazer piadinha com as imundices que acompanhamos todo dia é o mesmo que tomar bofetada na cara e dar risada.
Depois de um massacre que durou quatro dias em São Paulo, ouvir o José Simão fazer piadinha a respeito e achar graça, é o mesmo que contar piada no enterro do pai.
Brasileiro tem um sério problema.
Quando surge um escândalo, ao invés de protestar e tomar providências como cidadão, ri feito bobo.

- Brasileiro é um povo trabalhador. Mentira.

Brasileiro é vagabundo por excelência.
O brasileiro tenta se enganar, fingindo que os políticos que ocupam cargos públicos no país, surgiram de Marte e pousaram em seus cargos, quando na verdade, são oriundos do povo.
O brasileiro, ao mesmo tempo em que fica indignado ao ver um deputado receber 20 mil por mês, para trabalhar 3 dias e coçar o saco o resto da semana, também sente inveja e sabe lá no fundo que se estivesse no lugar dele faria o mesmo.
Um povo que se conforma em receber uma esmola do governo de 90 reais mensais para não fazer nada e não aproveita isso para alavancar sua vida (realidade da brutal maioria dos beneficiários do bolsa família) não pode ser adjetivado de outra coisa que não de vagabundo.
- Brasileiro é um povo honesto. Mentira.

Já foi; hoje é uma qualidade em baixa.
Se você oferecer 50 Euros a um policial europeu para ele não te autuar, provavelmente irá preso.
Não por medo de ser pego, mas porque ele sabe ser errado aceitar propinas.
O brasileiro, ao mesmo tempo em que fica indignado com o mensalão, pensa intimamente o que faria se arrumasse uma boquinha dessas, quando na realidade isso sequer deveria passar por sua cabeça.


- 90% de quem vive na favela é gente honesta e trabalhadora. Mentira.

Já foi.
Historicamente, as favelas se iniciaram nos morros cariocas quando os negros e mulatos retornando da
Guerra do Paraguai ali se instalaram.
Naquela época quem morava lá era gente honesta, que não tinha outra alternativa e não concordava com o crime.
Hoje a realidade é diferente.
Muito pai de família sonha que o filho seja aceito como 'aviãozinho' do tráfico para ganhar uma grana legal.
Se a maioria da favela fosse honesta, já teriam existido condições de se tocar os bandidos de lá para fora, porque podem matar 2 ou 3 mas não milhares de pessoas.
Além disso, cooperariam com a polícia na identificação de criminosos, inibindo-os de montar suas bases de operação nas favelas.

- O Brasil é um pais democrático. Mentira.

Num país democrático a vontade da maioria é Lei.
A maioria do povo acha que bandido bom é bandido morto, mas sucumbe a uma minoria barulhenta que se apressa em dizer que um bandido que foi morto numa troca de tiros, foi executado friamente.
Num país onde todos têm direitos mas ninguém tem obrigações, não existe democracia e sim, anarquia.
Num país em que a maioria sucumbe bovinamente ante uma minoria barulhenta, não existe democracia, mas um simulacro hipócrita.
Se tirarmos o pano do politicamente correto, veremos que vivemos numa sociedade feudal: um rei que detém o poder central (presidente e suas MPs), seguido de duques, condes, arquiduques e senhores feudais (ministros, senadores, deputados, prefeitos, vereadores).
Todos sustentados pelo povo que paga tributos que têm como único fim, o pagamento dos privilégios do poder. E ainda somos obrigados a votar.

Democracia isso? Pense !

O famoso jeitinho brasileiro.
Na minha opinião, um dos maiores responsáveis pelo caos que se tornou a política brasileira.
Brasileiro se acha malandro, muito esperto.
Faz um 'gato' puxando a TV a cabo do vizinho e acha que está botando pra quebrar.
No outro dia o caixa da padaria erra no troco e devolve 6 reais a mais, caramba, silenciosamente ele sai de lá com a felicidade de ter ganhado na loto... malandrões, esquecem que pagam a maior taxa de juros do planeta e o retorno é zero. Zero saúde, zero emprego, zero educação, mas e daí?
Afinal somos penta campeões do mundo né?? ?
Grande coisa...

O Brasil é o país do futuro. Caramba , meu avô dizia isso em 1950. Muitas vezes cheguei a imaginar em como seria a indignação e revolta dos meus avôs se ainda estivessem vivos.
Dessa vergonha eles se safaram...
Brasil, o país do futuro !?
Hoje o futuro chegou e tivemos uma das piores taxas de crescimento do mundo.

Deus é brasileiro.
Puxa, essa eu não vou nem comentar...

O que me deixa mais triste e inconformado é ver todos os dias nos jornais a manchete da vitória do governo mais sujo já visto em toda a história brasileira.
Para finalizar tiro minha conclusão:


O brasileiro merece! Como diz o ditado popular, é igual mulher de malandro, gosta de apanhar. Se você não é como o exemplo de brasileiro citado, meus sentimentos amigo, continue fazendo sua parte, e que um dia pessoas de bem assumam o controle do país novamente.
Aí sim, teremos todas as chances de ser a maior potência do planeta.
Afinal aqui não tem terremoto, tsunami nem furacão.
Temos petróleo, álcool, bio-diesel, e sem dúvida nenhuma o mais importante: Água doce!

Só falta boa vontade, será que é tão difícil assim?"

Arnaldo Jabor


Abraços, Turini - O Astronauta Terrestre

segunda-feira, 1 de dezembro de 2008

“Então é natal, e o ano novo também...”

E começa os preparativos para o fim do ano, as festas, as viagens, etc, etc, etc.
Ah não, o que esse cara vai falar agora sobre as festas do fim de ano? Impossível alguém que não goste das festas.
Realmente é impossível alguém que não goste das festas de fim de ano, impossível alguém que não goste de viajar nas férias.
Lógico que eu como todo e bom brasileiro que sou, adoro viajar, adoro festas e claro, adoro tomar uns golinhos de vez enquanto. Mas esse não é o problema. O problema é que não consigo me conformar com pessoas que ainda insistem em beber e dirigir.
E nessa época do ano é mais incrível ainda que as pessoas esqueçam que bebida e direção não é apenas perigoso, é morte.
Aqui no Brasil as pessoas já se conformaram com os acidentes dessa época, nessa época do ano, é montada operações para atendimento de vítimas de acidentes em todas as rodovias do país, é reservadas vagas em hospitais para esses tipos de traumas.
Mas por que isso? Porque ainda a maioria da população ainda insiste em dirigir bêbados.
No dia 21/07/08 no Brasil entrou em vigor a “lei seca”, aquela lei que trouxe muita polêmica para os motoristas, aquela lei que apenas no primeiro dia de execução aprendeu milhares de motoristas embriagados em todo país. A mesma lei que liberou mais de 60% de dos leitos hospitalares.
Ficou mais do que provado que a tal salvou milhares de vida no Brasil todo.
Mas o que nos resta esperar então, que as festas do fim de ano estão à salva, e que as pessoas poderão ir e vir sem grandes problemas.
Claro que poderíamos esperar isso, se aqui não fosse o país da corrupção, se as pessoas tivessem consciência que ao sentar atrás de um volante embriagado, não é apenas a sua vida que esta em jogo, mais sim a vida de outras pessoas.
Mas sempre se da um jeito por essas bandas, sempre se paga uma propinazinha aqui, se pega um retorno ali, se liga pra um taxista lá.
Poxa gente, vamos ter mais consciência que agente precisa mudar esse quadro, vamos tomar consciência que podemos evitar grande parte dos acidentes, vamos cobrar mais da nossa justiça, vamos denunciar, vamos revezar os dias de beber para chegarmos com segurança em casa.
Se cada brasileiro fizer sua parte, podemos mudar o numero de mortes que acontecem por aí, e quem sabe não muito longe, pegar um jornal depois do réveillon e ver ZERO número de mortos.
Então fica aqui o meu apelo para que todos tenham um pouquinho mais de consideração com sua vida e com a do próximo antes de resolver encher a cara e dirigir.
Boa festas a todos, abraços.
Eder Turini – O Astronauta Terrestre.

quinta-feira, 27 de novembro de 2008

E viva o verão!!!

Ah verão... Quando se pensa em verão logo vem, praia, cerveja, pessoas, e é claro funk.
Isso mesmo, hoje em dia não se consegue mais imaginar o verão sem o maldito funk que não deixa de ecoar em nossos ouvidos.
Fico aqui imaginando como queria voltar no tempo e viver na época do carnaval onde só se ouvia o som das marchinhas... é marchinhas mesmos, aquelas que o Silvio Santos gravou um cd cheio. Mas não, hoje lembrou verão, lembra se logo do maldito “pancadão”. O pior de tudo, é que as músicas do gênero cada vez mais trazem letras obscenas, de baixo calão, seja menosprezando as mulheres, sejam tratando de sexo. E o pior disso tudo é que não é apenas por se ouvir, mas é gritada aos seus ouvidos, é acaba sendo por falta de opção que se escuta.
E como se não bastasse à criançada aprende isso e canta como se fosse a coisa mais normal do mundo, os pais acham até graça de ver os filhinhos, todos bonitinhos, dançando a “dança do creu”.
Ignorância dos pais que não sabem o quanto ta sendo retirada da infância do seu filho, ignorância dos radialistas que acham que para fazer ibope é necessário que essas músicas ( se é que posso chamar isso de música) seja obrigadas a tocar nas rádios.
E aos poucos agente vê calado a mudança que começa a acontecer, as músiquinhas infantis começam a ser esquecidas, e se começa a vender mais e mais esse tipo de som, o que incentiva mais ainda a produção de novos discos e muito mais a falta de pudor nas novas letras.
E a mim só me resta sonhar com o tempo passado, onde as músicas poderiam ter lá sim sua malandrice, mas não era tão escancarada como nos dias de hoje.
Fico pensando como seria o verão em que fosse para uma praia e lá não tivesse parado um carro de onde se ecoa o som da infernal da Tati quebra barraco.
Por aqui me despeço, pensando qual será o som do novo verão, será o “MC Lambreta” ou a “Fernandinha Furacão”?
Abraços a todos, Turini – O Astronauta Terrestre.

terça-feira, 25 de novembro de 2008

In Memoriam

Aí galerinha, hoje estou aqui não para reclamar ou discutir sobre algum assunto, mas para relatar meus sentimentos de saudades.
Há algum tempo atrás conheci uma pessoa muito especial.
Alexandre, vulgo Katatal. Uma pessoa de valores, que quase não se encontra mais nos dias de hoje, uma pessoa de coragem, um modelo de vida.
Uma pessoa que o tempo não fez questão de apagar os exemplos que ele deixou.
Sei que é complicado imaginar alguém que não se conhece, mas quem conviveu, quem conheceu, quem vivenciou seus atos; sua forma de pensar e agir; saberá sobre o que eu digo.
Uma pessoa que me ensinou a arte de se preocupar com o próximo, me mostrou que nada na vida teria sentido se não tivesse amigos, me mostrou a grandeza de viver no presente e principalmente, que o que é mais importante é cultivar o amor, porque não importa o que se adquiriu em vida, mas o que fica quando se vai.
Então me despeço com o sentimento não de agonia, de desespero, mas sim de saudades, saudade de quem passou por minha vida e mostrou tudo que pode ser melhor, e que o que importa não é o que se tem, e sim, o que se é.
"É difícil pra crer, é difícil para acreditar, que você não está mais aqui, para ver as coisas que eu fiz..." Marlon Carloni.
Então é isso, saudades.

Alexandre (Katatal) + 24/11/2003.

sábado, 22 de novembro de 2008

Mais um dia por aqui, mais uma noite sem dormir

Sexta feira a noite, altas horas da madruga e eu pensando o que escreveria aqui...
Bom a minha grande amiga Júlia me deu uma ótima idéia e claro que em um dos próximos post estarei abordando o assunto, mas acho que ainda não é o tempo, não sem antes falar dos grandes preparativos para o natal que já está em todas as lojas do mundo.
Sabe eu realmente me sinto feliz nessa época do ano, grande números de pessoas nas ruas, espírito natalino, pessoas conversando, alunos matando aulas, isso tudo me deixa muito feliz.
Mas como tudo tem seu lado revoltante e eu estou aqui para falar sobre a realidade.
O natal deveria ser uma data cristã, onde representa o nascimento de Jesus, o filho de Deus, e olha que eu sei disso e nem sou um garoto tão ligado a coisas religiosas assim. Mas será que as pessoas do mundo estão realmente ligadas ao verdadeiro significado do natal?
Creio que o verdadeiro espírito do natal seria para as pessoas deixarem de lado um pouquinho da sua vidinha e estive pronto para mostrar um pouco de amor ao próximo, mesmo que seja ajudando nas coisas mais banais do dia a dia.
Mas o que vejo não é isso, vejo uma data onde o comércio sobrecarrega os funcionários, onde as crianças se esforçam para que os pais comprem os melhores presentes, vejo pessoas sendo atropeladas nos supermercados, para ver quem chega primeiro na prateleira da promoção, vejo...
Acho que se fosse colocar tudo que não estaria certo nessa época do ano, não pararia de escrever. Bom, mas então o que isso tem demais? As pessoas estão apenas colhendo os frutos que plantaram depois de um ano suado de trabalho duro, não é mesmo?
Até aí tudo bem, se não fosse o mal que isso vem fazendo para as pessoas, e até mesmo para o planeta. Hoje em dia se ouve muito falar a respeito de poluição, sobre aquecimento global, sobre destruição em massa.
Aí você me vem com a seguinte desculpa, mas eu não tenho a ver com isso não, eu separo o lixo da minha casa para a reciclagem, eu não uso produtos provenientes de CFC, etc, etc, etc.
Certo, certo, mas vamos colocar um pouquinho a mão na consciência? Você realmente está precisando mudar de aparelho celular? Está realmente precisando trocar de computador? Está realmente precisando adquirir um novo veículo?
Ta vendo quanto você ta contribuindo para o “Armageddon”?
Pois é galera, isso tudo não é culpa do velhinho de roupa vermelha e barbas grandes não, e sim nossa.
Então pensem melhor antes de pedir pra mãe, pra namorada, pro amigo aquele presente que você pretendia ganhar, e avaliem se isso realmente é necessário.
Abraços a todos... Turini – O Astronauta Terrestre.

quarta-feira, 19 de novembro de 2008

Que país é esse??

Bom então desafiando a mim mesmo e a todos com que imaginaram que acabaria no primeiro post, aqui está.
Hoje em especial queria compartilhar com vocês a minha frustração em relação à imprensa.
Zapeando por alguns canais de TV, tive a horrível sensação que a imprensa brasileira, principalmente os canais abertos (Globo, Record, entre outros), só conseguem a audiência pretendida se aproveitando de casos catastróficos.Não que as pessoas não devam saber das perversidades que acontecem no país, mas não somos obrigados a engolir desgraças o tempo todo.
Ultimamente a mídia tem se destacado muito a questão de casos como esses:
Caso Isabela Nardoni, Eloá Cristina Pimentel entre outros.
Queria saber também se as famílias dessas pessoas recebem algum apoio, ou se apenas é esquecida depois que passa a tempestade.
O pior é que esse tipo de situação acaba trazendo mais desgraças para nossas vidas, é aquele tipo de coisa, pense e atraia, e com a forma que nos é impostas essas notícias fica até difícil não pensar.
Vejam que passando por um fórum esses dias, vi a respeito do caso de um desses citados acima, e não pude deixar de ler um comentário que dizia assim, “Qual será o final da trama dessa vez?”, poxa gente, calma lá! Isso aqui não é mais um capítulo de uma das novelas de Carlos de Andrade. Pessoas estão morrendo e o que a mídia faz é apenas lançar na TV como uma novela barata.
Fico profundamente triste ao saber que pessoas se aproveitam de sofrimentos alheios.
Não existe coisa mais desprezível que esse tipo de situação.
Então fica apenas uma pergunta... Que país é esse???

terça-feira, 18 de novembro de 2008

Vamos Lá

Bom eu nunca me amarrei nessas coisas de escrever e tals, mas estava em casa pensando no que fazer para aliviar o tédio de um dia chuvoso e me veio à idéia. Por que não criar um blog? Já tinha tentado escrever antes, lógico que geralmente em folhas daquele caderno da "tilibra", com a capa da High School Music, e que para nada mais serve do que ficar jogado num canto do quarto servindo de acúmulo de poeira.
Então me lembrei que sou melhor que isso, melhor que um acumulador de poeira, e vim parar aqui.
Bom ta certo que também não costumo ir muito em frente com meus projetos (pelo menos os que se trata sobre internet) e possa ser que essa seja a primeira, e última, vez que esteja escrevendo aqui. Mas espero que isso possa servir de fonte inspiradora para alguém, ou até mesmo de porra nenhuma para outros.
Abraços a todos os desocupados que tiveram a nobre tarefa de ler isto.
Atenciosamente Turini - O Astronauta Terrestre